Sem dor, sem ganho, sem controle! A importância do exercício no diabetes

Tempo de leitura: 3 minutos

Por Rodrigo Barboza, bacharel em Educação Física e estudante de Nutrição

Perda de peso, diurese em excesso e muita sede. Em 2005, quando comecei a ter esses sintomas, não imaginava que meu diagnóstico revelaria que eu era portador de diabetes tipo 1. Essa notícia mudou minha vida e me deixou muito mal física e psicologicamente, principalmente em razão da perda excessiva de peso. Foi aí que procurei ajuda profissional de um psicólogo para conseguir assimilar essa nova realidade e superar suas consequências para meu convívio social diário.

O diabetes é uma doença que exige intervenção multidisciplinar para melhor aceitação, tratamento e convívio. Áreas como Endocrinologia – especialidade responsável por prescrever nossas medicações –, Psicologia e Nutrição são primordiais para uma vida de qualidade, mas a prática de exercícios físicos é tão importante quanto.

O que me levou a me formar em Educação Física foi justamente isso. Ver como todo o caos da minha glicemia melhorava quando eu me exercitava. As crises de hiperglicemia me deixavam tão estressado que eu decidia correr. Quando eu chegava em casa, lá estava ela, bem mais baixa ou normalizada.

Ué, então é isso! Treinar é a solução?

Não! O que quero dizer é que exercitar-se é uma das principais ferramentas aliadas ao controle do diabetes e bem-estar total na nossa vida. Começar a me exercitar, praticar musculação e fazer o que gosto foram atitudes que me levaram a melhorar minha aceitação e autoestima e, consequentemente, o controle da minha glicemia.

Hoje, por meio da minha experiência, faço palestras e incentivo pessoas a tomarem atitudes mais positivas em relação a prática de exercícios. Se ser diagnosticado com diabetes é, a princípio, algo ruim, quero estimular as pessoas e enxergarem nisso a oportunidade de fazer algo positivo, que talvez não fosse possível em outras situações.

Quer um exemplo? Se eu não fosse diagnosticado com diabetes, talvez não tivesse feito amizades com outros diabéticos ou não pudesse mudar a vida das pessoas por meio da minha empatia e do meu conhecimento sobre a doença.

Vai praticar exercícios? Então se liga nessas dicas!

Praticar exercícios físicos ajuda a encarar o diabetes com um novo olhar. Não há nenhuma contraindicação para quem é diabético, mas a ressalva são aqueles com alguma consequência mais grave da doença, como retinopatia ou neuropatia, sendo necessário observar que tipo de exercício pode agravar ou provocar situações de risco nessas patologias.

Não é recomendável treinar com glicemia abaixo de 100mg/dl de forma geral, pois o exercício promove a absorção de glicose mesmo sem ação de insulina, por isso é necessário andar com sachês de açúcar, mel ou algum outro tipo de alimento que possa rapidamente aumentar sua glicemia em caso de hipoglicemia. É importante que professores de academias estejam cientes disso.

E se você possui cetonas no sangue, situação que normalmente acontece quando o diabético apresenta quadro constante de hiperglicemia, atenção: a prática de exercícios é contraindicada. Agora, se as crises de hiperglicemia são esporádicas e acima de 300mg/dl, é importante ficar atento aos sintomas e corrigir parte desse valor para poder se exercitar sem medo de ser feliz!

Nesta data especial, em que é comemorado o Dia Internacional do Diabético, gostaria de te fazer um convite: mexa-se! Adote a prática de exercícios físicos na sua vida e sinta a mesma transformação que eu senti. E que esses novos hábitos te encham cada vez mais de orgulho de ser diabético!

Quer mais dicas sobre exercícios físicos ou sanar alguma dúvida? Me acompanhe no Instagram: @diabetes_exerciciofisico.

Grande abraço a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *